Translate

terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Procon orienta sobre compra de pacotes turísticos internacionais


Procon orienta sobre compra de pacotes turísticos internacionais


Fazer uma viagem para um destino fora do país de origem pode ser uma experiência inesquecível. Mas para que esses momentos inusitados não sejam marcados por falhas no atendimento e na escolha dos prestadores de serviço, a Superintendência de Proteção e Defesa do consumidor (Procon) alerta para alguns cuidados que precisam ser observados na hora da compra do pacote turístico.
            Para escolher um pacote turístico internacional com maior segurança e com mais chance de acerto, o mais importante é fazer uma pesquisa detalhada. A internet está repleta de informações sobre tudo o que há nos mais variados destinos, mas uma pesquisa junto à empresas de turismo é essencial para confirmar informações sobre preços e tipos de pacotes e ainda tirar dúvidas.
            Neste caso, vale a dica de colher informações e referências com pessoas conhecidas que já contrataram os serviços daquela agência. Verificar se a operadora ou agência tem cadastro na Embratur ou Associação Brasileira de Agências de Turismo (ABAV). Pesquisar e comparar as diferenças de preços entre as empresas. Sempre desconfie de ofertas muito abaixo do preço de mercado.
            Ao fazer a pesquisa, é preciso ainda se atentar em saber sobre todos os serviços oferecidos pela agência de viagens, principalmente o hotel onde será a hospedagem. Isso é importante não só para se analisar a qualidade do hotel, mas também para que seja possível verificar a localização e as possibilidades de se fazer outros programas além do planejado no pacote.
            Além disso, o Procon orienta verificar quantas refeições diárias estão incluídas no preço do pacote, afinal é necessário se ter ideia do quanto será gasto com alimentação para que não haja problemas com disponibilidade de dinheiro durante a viagem. Outro quesito básico é verificar se no preço total do pacote já estão incluídos os valores das passagens aéreas e do meio de transporte que será utilizado para o deslocamento até o local.
            De acordo com o assessor do Procon, Marcus Vinícius Flora, é primordial averiguar outras situações, como qual moeda internacional é melhor aceita no país a ser visitado, o cuidado com o excesso de bagagem e efetuar a contratação de uma modalidade de seguro-viagem com cobertura para perda de bagagem, problemas de saúde e acidente. “O consumidor deve pesquisar se no período que pretende viajar é alta ou baixa temporada no país a ser visitado. Isso evita surpresas com relação aos preços de estadia, alimentação e passeios turísticos. E independentemente das dificuldades, leia e confira todas as cláusulas do contrato, inclusive as letras miúdas, isso ajuda a evitar surpresas desagradáveis”, disse Marcus, frisando, por exemplo, que a pessoa não será reembolsada se perder o voo ou o navio por falta de pontualidade.


Daniela Queiroz
Procon